domingo, 20 de janeiro de 2008

Se eu morrer hoje

Se eu hoje morrer, é só mais um dia. Vais lavar o teu rosto pela manhã e traçar o contorno dos teus olhos a preto, não por eu ter morrido, mas porque sempre tiveste os olhos contornados a preto. Não será luto, o teu acordar. Será um espreguiçar de ontem, indiferente ao facto de que o meu rosto frio hoje não sentiu a luz.

É certo que irás rir durante a manhã. É igualmente certo que à hora de almoço atenderás uma chamada dizendo "Ele morreu." Talvez te estrague a tarde. Sim, creio que sem dúvida te estragará a tarde em que tinhas planeado rir num café, falando de mim e de como ontem te fiz rir. Tinhas planeado tudo isto, sem querer, porque hoje é só mais um dia. Sinto-me culpado por antecipação.

O contorno preto dos teus olhos vai-te deslizar pela face. Vais pensar "Devia ter-lhe dito. Devia ter-lhe dado aquele abraço e aquele beijo, porque agora não me recordo qual foi o último abraço nem o sabor do seu último beijo."

Vais pensar "E agora?" Não gosto que vás pensar nisso, porque para mim então já não haverá nenhum "agora". Se eu morrer hoje, é só mais um dia. Talvez me enterres mais rápido que o coveiro. Ou talvez procures outros braços em que me enterrar, já podre a carne mas persistente a memória.

Se eu morresse hoje... Queria bombos e uma gaita de foles e champanhe para todos. Queria todas as tuas fotografias no meu caixão, que deveria ser vermelho. Queria ainda um livro e uma folha com palavras tuas, com o teu perfume.

Não morro hoje. É cedo.

Tenho um livro para escrever e a tua alma para salvar. Talvez falhe em ambos, mas não sem tentar. Se eu não morrer hoje, talvez o dia seja diferente.

5 comentários:

amarelo-torrado disse...

bem...este não poderia deixar em falso e não comentar. mais uma vez parabéns. senti-me como se eu própria estivesse a escrever.. parece que via todo o pormenor.parabéns mais uma vez e continua . força em tudo.

jazzy_blues disse...

obrigado. seria melhor sinal não te identificares, já que o texto é um pouco triste, mas enfim... fico feliz por conseguir que alguém se identifique.

Anónimo disse...

repito-me. e eu que tenho a mania que domino um vasto vocabulário nesta matter lingua, contigo só faço repetir-me.
repito-me pois: és um grande Escritor.

(ah! e parabéns pela casa nova)

amarelo-torrado disse...

nao é bem identificar-me...mas é como se estivesse la e conseguisse ver tudo ao pormenor!

nonsense disse...

O Mário Sá Carneiro queria ir de burro..."a um morto nada se recusa"!

Belas demandas as tuas!

Cedo, demasiado cedo!